Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

domingo, 9 de dezembro de 2007

O importante é ser você (?)

Lá estava eu, feliz da vida tomando banho, lavando o cabelo e cantando "Fear of the dark" a plenos pulmões junto com o rádio que eu propositalmente coloquei dentro do banheiro - aliás, que acústica! que acústica! - quando de repente me dei conta de que não... não irei ver Iron Maiden ano que vem. Ô porra! A minha história com o Iron não é uma história da qual se possa dizer "Minha nossa, como a Luciana é fã do Iron Maiden! Como ela gosta do Bruce e sabe de cor todas as músicas!" Mas é uma história interessante até... Começou quando o meu pai (meu eterno saudoso pai) fez umas gambiarras com alguns cds que nós tínhamos em casa. Trocou os cds por LPs. Na época eu fiquei revoltada, né... imagina só trocar cds por LPs! Qual não foi a minha surpresa quando, lá no meio dos vinis que ele pegou no lugar dos cds, havia um 90´s Hits!

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAAAA!

Essa história de "Hits dos anos tal" é batidinha. Sempre tem as "mais mais pops" do momento. A única coisa que me chamou a atenção, pra falar a verdade, foi "It must have been love" - crááááássica do Roxette. Então tá. Pus o vinil pra tocar. A primeira faixa era justamente aquela que tinha me chamado a atenção. Como a preguiça era tamanha, não levantei do sofá pra repetir a faixa 1. Sabe como é. Vitrola e controle remoto não combinam. Foi assim que eu ouvi a faixa 2 - The one I love (e foi por isso que eu fui uma das únicas que se animou quando o Catedral veio pra P numa Expo-alguma-coisa-de-agricultura quando eles tocaram R.E.M.); e depois a faixa 3 - Wasting Love. Rááááááá, meeeeu jésus! O que eram aquelas duas guitarras juntas? O que era aquilo??? Eu, que devorava as Guitar Players e as Cover Guitars do meu pai (sempre ele) pirei o cabeção. Nem acreditava que aquela banda malvadona e com um tipo como o Eddie de mascote fosse capaz de uma balada como aquela.

Agora que eu conheço um pouco mais, sei o que o Iron é muito mais do que a "Wasting Love". E com o Carlos como guru, eu sei que o Iron também é muito mais do que "Fear of the dark" e "The number of the beast". Adoro quando o Carlovski se empolga com o Iron XD. E, me desculpem os fãs de Iron, mas eu prefiro mil vezes a versão do After Forever pra "The Evil that Men Do". Carlos, você criou um monstro!

Ah tá... O importante é ser você. Depois da música do Iron tinha umas da Pitty gravadas. Ai, que saudade da Pitty do primeiro disco. Desculpem Emmer e Van, mas ela parecia mais inocente, mais verdadeira. Impressão minha, não que seja realmente uma verdade que todos tenham que aceitar. Então, eu lá cantando "O importante é ser você, mesmo que seja estranho. Seja você, mesmo que seja bizarro", e me dou conta das quantas vezes que, da minha própria boca, eu fiz o comentário "Ih, que pessoa mais estranha". Tô sem moral pra falar nada. ¬¬


E olha que eu loguei só pra postar sobre a música da Pitty ¬¬

4 comentários:

...::: A Luciana :::... disse...

Esqueci:

Esse 90´s Hits também me fez gostar de Red Hot Chilli Peppers com "Give it away". E logo depois ,tinha o Rock in Rio e eu lá na sala chorando de ver o Iron e o Red Hot tocarem.

Ê, saudade.

Van disse...

Eu só tenho um cd do Iron "Brave New World" eu não sou entendedora da banda.
Quanto a Pitty eu gosto dos 2 cds,diferentes como devem ser.

Van disse...

Eu acho que devem,hehehe.

Beiiiiiiiiiiiiiijos.

Anti-herói disse...

Iron Maiden é o paraíso e o inferno, Steve Harris é Deus e Bruce Dickinson é o diabo! Ou vice-versa!
Iron Maiden faz parte e mudou a minha vida diretamente. Após ouvir um disco do Maiden pela primeira vez, minha vida mudou.
Até hoje quando ouço o Live After Death, e o Bruce grita "Scream for me, Long Beach... Screeeam for me, Long beeeeeach!!!" eu me lembro da sensação que foi ouvir pela primeira vez um disco do Maiden em 1995.

Quanto a Pitty, eu gosto mais da fase atual. Acho que ela está mais madura e mais verdadeira, acho que aí que está a nossa opinião divergente sobre ela... acho que ela estando mais madura está curando o defeito dela que era ser inocente demais, rs... ela tá compondo melhor (melhor letrista de rock nacional dessa nova geração é ela, na minha opinião) e tem um guitarrista bem melhor na banda dela (só seria melhor se o Luciano Granja não tivesse saído - porém, ele só fez shows, não gravou nenhum disco com ela).
O único ponto do primeiro disco que supera o mais recente de estúdio, é a quantidade maior de músicas "radiáveis", o primeiro álbum todo dela praticamente foi sucesso, já o segundo é mais complexo, mais inteligente.

Eu acho legal isso.
É que nem quando dizem do Iron Maiden... os Anti-Irons tem como principal "argumento" que a banda é sempre a mesma, faz sempre o mesmo tipo de som. É típico de quem não conhece... Eu gostaria de ter o primeiro e o último disco do Maiden e dar pra esses caras ouvir... o Paul Di'anno (primeiro vocal que gravou com o Maiden os dois primeiros discos) era um punk anarquista, andava com gangues e cantava no Iron Maiden! Era uma coisa totalmente diferente do que é hoje... No meio dos anos 90 o Maiden inovou com as músicas de introduções longas, em 1986 com os sintetizadores, no começo dos anos 90 com a fase mais crua, na fase Blaze Bayley com músicas mais "obscuras", e na volta do Bruce mesclando tudo isso (exceto os sintetizadores que foram limados, até mesmo porque é uma coisa totalmente anos 80).

E, pra acabar, quando ao comentarmos de "ih, essa pessoa é tão estranha"... Poxa vida, se ninguém falasse nada de ninguém seria tão chato. Seria muito chato não poder falar nada, sem ao menos fazer um comentário soubre outras pessoas. Ninguém deve se punir por isso... falam de mim, eu falo dos outros... e sou feliz.

E o Maiden é mesmo muuuuuuuuuuito mais que Fear of The Dark, Wasting Love ou The Number of The Beast... O Maiden é mais que eu, mais que o Bruce, que o Steve... o Iron Maiden já é uma instituição. A maior banda da história do heavy metal.

*mania de escrever muito, fiz praticamente um post de blog nos seus comentários*

Te amo!
S2