Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

sábado, 1 de novembro de 2008

Virou moda, é?

Ah não... também quero uma criança pra espancar e uma namorada pra sequestrar. Virou moda, é?

Ah, passa na segunda-feira, dá licença. É lógico que é ironia pura. Eu fico aqui me perguntando como é que tem gente tão doente a ponto de ter a covardia (sim, por que o nome disso não pode ser "coragem") de levantar a mão descontroladamente contra uma criança que não tem condição nenhuma de se defender. Faltam até palavras pra tanta indignação e revolta. Crianças são o reflexo dos pais, na esmagadora maioria das vezes. Qualquer mosca morta sabe disso. Se a criança berra o dia inteiro, é desobediente, insuportável, agressiva e etc, é provavelmente porque se baseia em exemplos ao seu redor, hello-owwwww! Logo, quem deveria apanhar é a má referência que influencia a criança. Deeeeixa pra mim, eu mesma faria questão de espancar um covarde desses. Me certificaria de que o sujeito nunca mais fosse capaz de machucar uma criança.

Depois a gente ainda tem que ficar aguentando o povo todo falando mal da polícia em ocasiões como o sequestro da Eloá. Nem vou entrar na questão. A polícia seria achincalhada fosse qual fosse o resultado dessa palhaçada causada por um cara que deve ter sido uma criança mimada, psicologicamente mal-estruturada, talvez até mal-tratada. Culpa dos pais? Culpa dele mesmo? Culpa da escola? É essa a principal questão desse caso, na minha opinião. Se a polícia errou ou não, não é tão importante pra mim. Tava na cara que ele meteria uma bala na cabeça dela(s). Afinal, ninguém que prende alguém durante cinco dias está muito afim de se entregar. Outra vez, até uma mosca morta desconfiaria. Um adulto psicologicamente desestruturado é, provavelmente, resultado de uma criança que cresceu desinstrumentalizada, desamparada no sentido psicológico mesmo.

Gente que não aceita perder; gente que vive fazendo piadinha com os outros mas quando é o alvo de brincadeiras, não aceita; gente agressiva, gente que perde a linha quando enche a cara; gente que acha que merece mais atenção na rodinha de amigos do que os outros; gente que mente pra aparecer; gente que finge ser o que não é pra ter o que quer... todos adultos psicologicamente desestruturados. Um criadouro de outros adultos com os mesmos problemas. E eu quero distância disso. Esse tipo de gente deveria fazer um favor a si mesmos e evitar ter filhos. Já pensou? Meus filhos misturados com esses futuros psicóticos? Dá medo... dá muito medo.

Sei lá... tem dias que eu acordo meio Hitler. Detesto. O Hitler. Aliás, já que o mencionei, espero que ele tome um abacaxi na região anal todas as manhãs, tardes e noites lá no inferno, que é onde eu espero que ele deve esteja agora. O "genial" Hitler, pfffffffff.

Virou moda, então? O pior de tudo isso é que a violência contra crianças, mulheres e idosos está aí, acontece todo dia. Do lado da janela da nossa casa. A gente ás vezes se omite porque tem medo, porque sabe que se fizer a coisa certa, provavelmente quem vai se ferrar é a gente. Virou moda não. Sempre foi. Assim como o SPFW dita as novas tendências do verão e bla bla bla, a tv dita o que está na moda agora: espancar, jogar da janela, maltratar idoso ou sequestrar namorada.

Ah, passa na segunda.

Um comentário:

Emerson disse...

qdo tava lendo, tbm pensei no hit e no jeito carinhoso com o qual ele tratava o lado azarado, aí no fim vc concluiu falando dele