Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

terça-feira, 17 de março de 2009

Crasse profissional.

O Clodovil morreu. Que pena. Não gostava da arrogância dele e nem vou sentir falta. Sei que algumas pessoas admiravam, mas eu não. Pra quem veio de onde veio, era muita arrogância numa pessoa só. Sabe aquela pedrinha no sapato que incomoda e não deixa a gente esquecer que ela tá lá? Acho que esse foi o mérito dele. Mas quem sou eu pra ficar falando sobre o acontecido, né. Mór-reu.

Então... será que algum dia professor vai ser valorizado novamente?

Me parece que o respeito de que os meus pais e pessoas mais velhas falam era um respeito medroso. E o respeito do início da profissão me parece vir do fato de que poucas pessoas tinham o conhecimento formal adquirido - por isso eram respeitadas.

Não queria que o professor fosse respeitado por ter conhecimento que outros não tem. Nem gostaria de ser temida - o que é diferente de ser respeitada.

Professor deveria ser respeitado porque fica até tarde da noite planejando aulas. Passa horas corrigindo tarefas e provas. Porque se expõe na frente de trinta alunos, com todos os seus problemas, pra ajudar o filho dos outros. Deixa os filhos em casa para ensinar os filhos dos outros. Não dorme de noite porque pensa na melhor forma de abordar um assunto, porque sabe que tem um aluno com problemas e quer ajudar. Deve ser respeitado porque é um ser humano igual aquele sentado na carteira, que é afetado assim como afeta os outros. Tem que ser respeitado porque sabe pedir desculpas e conversar quando perde a cabeça, e porque fica desolado quando não querem ouvir o pedido de desculpas, ou não querem aprender o que ele tem pra ensinar, ou lançam aquele olhar de quem não sabe o quanto a vida ainda vai ensinar.

Ser professor é trabalhar em dobro, sem querer desmerecer nenhuma profissão. Assim como muitos profissionais, os professores levam trabalho para casa. A jornada nunca acaba na hora em que bate o sino do colégio, na hora em que a aula de inglês acaba. Milhões de provas, de tarefas, de planejamentos que nunca acabam, de livros pra preencher. E as reuniões de pais? Ah, as reuniões de pais... aquelas feras que estão ali pra defender as suas crias a qualquer custo. Não importa o quanto o filhote pentelhe a aula inteira, ele sempre vai ter razão, e a culpa sempre vai ser do professor, da coordenação ou da escola.

O professor não tem que educar. Professor tem que complementar a educação. Espero nunca fazer uma coisa dessas com um filho meu: achar que a educação integral é responsabilidade da escola... Nenhuma criança merece esse descaso dos pais.

Os professores mais legais são os de Educação Física. Tão fácil largar a bola pra piazada e ficar lá olhando. Tão fácil ganhar os alunos dizendo que eles podem ficar conversando nos quinze últimos minutos da aula. ¬¬

E é uma droga saber que existem professores descomprometidos por aí... só queima a cara da "crasse". Enfim, não vou terminar o post com "Professores de todo mundo, uni-vos". Sucks. Espero que um dia o professor comprometido possa ser respeitado novamente.

Nenhum comentário: