Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

sábado, 14 de março de 2009

Politicamente (in)correto

Oi, como foi a sua sexta-feira 13? Me conte, eu quero saber. A minha semana inteira foi semana de sexta-feira 13, cês não tem noção. Mas tá tudo bem, tá tudo certo. Vambora pra frente....Vou fazer assim... vou fazer vários posts com vários títulos, porque eu tenho mil e uma coisas pra falar, pra variar...

A Coréia do Norte...

Então.... a Coréia do Norte (leia-se o Ditadorzinho norte-coreano), na minha visão nada politicamente correta do mundo, não passa de um paizinho desnecessário, mixuruca, metido a besta que quer aparecer com força e sem vaselina. Quando estão esquecendo que ele (o Ditador) existe, ele vai lá e apronta. Aprenda com o Fidel e tire seu time de campo. Ainda não te avisaram sobre o comunismo não? Onde é que já se viu ameaçar o Japão com guerra caso os japoneses derrubem o suposto satélite norte-coreano que POR ACASO vai cair metade no mar do Japão enquanto a outra metade passará por cima das cabeças do japoneses pra cair no Pacífico? Que aberração! Onde é que já se viu não assegurar a segurança dos aviões comerciais sul-coreanos e ocidentais que tem sua rota traçada por sobre a Coréia do Norte? O que esse ditadorzinho fedido diria se o Japão anunciasse que estava prestes a lançar um satélite (ahã, a gente faz de conta que acredita que é um satélite, tá...) que POR ACASO passaria por cima da Coréia do Norte? O que ele diria se a Coréia do Sul não desse garantias aos aviões comerciais norte-coreanos que sobrevoam o espaço aéreo dos vizinhos sulistas? Esquece essa última parte, a frota aérea da Coréia do Norte deve ser risível.

Só tem uma explicação: querer aparecer.


*******************************************************************

Isso é feminismo:

A moça foi lá, escreveu um livro considerado libertador por várias mulheres, embore eu discorde em alguns aspectos - como a depilação, por exemplo - e ainda tem que ficar aguentado encheção de saco das feministas. No meio da entrevista, a moça esculacha com as feministas e eu acho é bom. Segue trecho editado sem, no entanto, mudar o contexto do que foi dito por ela:

ÉPOCA – Alice Schwarzer, tradicional feminista alemã, fez uma cruzada contra a pornografia. Como as feministas na Alemanha veem você?
Charlotte – Sou uma jovem feminista. E o grande problema com o feminismo é que as velhas feministas odeiam as novas. Mas sou “filha” delas – queiram ou não. (...) Para mim, é frequente encontrar, entre as velhas feministas, muitas lésbicas. E acho muito difícil elas emitirem opiniões sobre como eu, uma heterossexual, devo tratar um homem. Uma lésbica obviamente não entende de pornografia, porque é uma coisa heterossexual. E se há um jogo entre um homem e uma mulher, e mesmo se isso é agressivo, (...) é entre homem e mulher. Muitas vezes, as feministas estão lutando contra os homens. E elas sempre pensam que fazer sexo com um homem ou calçar um salto alto para um homem é idiota. (...) eu quero que o homem me ache atraente. Então, eu calço salto alto e assisto a pornôs com meu marido. Mas as feministas odeiam os homens. (...) E as jovens feministas estão tentando ter uma relação de amizade com os homens, e não brigar com eles.

ÉPOCA – Na Alemanha, há uma onda de publicações sobre um suposto novo feminismo. Seu livro faz parte disso?
Charlotte – Com certeza. (...) Todas (as autoras) também foram insultadas pelas velhas feministas (risos). Meu livro ajudou a pensar sobre coisas que ainda são tabus absolutos sobre o corpo da mulher, como a masturbação. Muitas jovens não leem o livro como se ele fosse chocante, ou sexual, mas como uma leitura libertadora. (...)

Assino embaixo. E digo mais...

Tem homem que não presta, tem mulher que não presta também. Qual é o problema em ouvir uma piada do tipo "Tinha que ser uma mulher no volante..."? Até eu falo isso direto. As que se dizem feministas radicais abririam guerra e crucificariam os homens pela dita cuja da piada. A verdadeira feminista, novamente sobre o meu ponto de vista nada politicamente corretinho sobre as cosias, faria o seguinte:

a) Racharia o bico de rir e concordaria
b) Daria um jeito de devolver a piada dizendo que, pior do que aquilo, só mesmo um homem pra conseguir fazer

Simples assim. Sem necessidade de ofender e levando na brincadeira. Deixaria de evitar o confronto? Aceitaria a piada passivamente? Para as radicais, sim. Para as racionais, não. Quero que me provem o momento entre A e B ali em cima que eu fui passiva em aceitar piadinhas machistas, sendo que eu respondi com uma provocação feminista muito bem-humorado, modestamente falando.

Ser feminista não é odiar os homens, faça-me o favor. Feministas tapadas encaram da seguinte maneira:

a) você é feminista: você é lésbica. Nenhum homem presta e todos deveriam morrer.
b) você não é feminista: você é hetero. É passiva frente ao mundo machista ao se render aos (dotes maravilhosos dos) homens. Uma Amélia que deveria ter vergonha de ter nascido, e só nasceu pra buscar a cerveja na geladeira.

Feministas bem resolvidas deveriam encarar as coisas assim:

a) você é lésbica: você é feminista. Que lindo, você é bem resolvida, não precisa ficar jogando pedras nos homens pra justificar a sua orientação sexual. E, pra somar pontos pra você, segundo pesquisa na Veja, a visão que mais excita tanto homens quanto mulheres são duas mulheres se beijando. O seu pai é um homem, ele não deveria morrer. O seu irmão é um cara gente fina que tá ali quando você precisa dele, embora ele pise na bola de vez em quando e não quer nem saber de buscar um shampoo na farmácia pra você. Mas ele também não merece morte lenta e dolorosa.
b) você é hetero: isso não significa ser uma Amélia passiva. O que você pode fazer se o corpo masculino te atrai? Que culpa você tem de (se perder naquelas curvas musculosas, babar naquela pancinha, derreter só de imaginar um abraço, sonhar com aquela boca e aquela barba) se interessar por um ser bobo feito o homem? Qual é o problema de ir buscar uma cerveja pro cara na geladeira, se você pode pegar uma pra você e beber junto com (aquela coisa gostosa que depois você vai agarrar e morder e beijar e...) ele durante o jogo de futebol. Você pega a cerveja agora, ele faz o tererê e a pipoca amanhã. Um dia você lava a louça e ele seca, outro dia ele lava e você seca... e tal e coisa... e coisa e tal... ui ui ui... *_*

Não defendo que a mulher use o homem como bem entender, assim como as feministas dizem que os homens nos usam. Não se trata de tirar vantagem de um gênero. Se trata de respeito, de conviver bem, de tolerar defeitos típicos femininos e masculinos, de justiça, de igualdade de direitos e deveres...

Enfim... Chega, né? Só queria dizer uma coisa: uma das minhas melhores amigas gosta de meninas. E eu desconfio que eu tenha outros amigas que gostam de meninos e meninas... e amigos que gostam de meninos... Enfim, foda-se. Dos meus amigos eu tenho orgulho e apóio sempre, porque eu sei que orientação sexual não define o caráter de ninguém, e porque eu sei que eles são tolerantes, assim como eu.

Acho que o próximo post será meio esotérico. Mas não prometo escrever menos ¬¬
Afe...

Nenhum comentário: