Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

quinta-feira, 12 de março de 2009

A sociedade e eu...

Viver em sociedade é uma arte, cuja habilidade eu até possuo, mas não domino a sua essência. Nossa, que intelectual ¬¬

Não é um post sobre como a sociedade é pérfida e todos deveriam morar em cavernas no meio da selva. Mas a sociedade enche o saco. Quando eu digo "sociedade" eu digo "pessoas". Sim, porque alguns poderiam entender a sociedade como aquela entidade social opressora das camadas menos favorecidas - marxistas toscos. Ou então, entender a sociedade como as pessoas que fazem as leias, governam e mandam. Ou ainda, como todas as outras pessoas, menos ela mesma.

O fato é que viver em sociedade é um saco. Um infortúnio. Uma porcaria. Cansay.

Quando você não quer ser maldoso e prefere não falar o que pensa sobre os outros e relevar defeitos, ela - a sociedade - te acusa de falso, duas caras, omisso, em-cima-do-muro e bla bla bla. Quando você é sincero e fala o que pensa, ela - a sociedade - te acusa de mal-educado (vai com hífen mesmo, já chega ter que aguentar a sociedade, ainda mais a sociedade que mudou as regras do português). Então... te acusa de sem coração, desalmado, frio, calculista e bla bla bla.

Nunca nada está bom. É meio clichê ficar falando da maneira como a sociedade regula inconscientemente os nossos atos e palavras, mas dane-se: isso é outro saco!

Já que a gente tem que viver com essas regras, então porque todo mundo simplesmente não as cumpre? Leis de trânsito, por exemplo... Essa semana eu quase me envolvi em acidentes de trânsito várias vezes. Será tão difícil assim dirigir decentemente? Custa parar quando a placa dá preferência pra quem vem vindo na outra rua? Onde é que já se viu esquecer de virar numa rua, parar o carro no meio da estrada, dar ré - em plena rota de caminhões! - só pra não andar mais uma quadra de maneira segura e chegar mais rápido no destino? A gente chega a pensar que nem deveria ter saído de casa durante a semana. Chega até a ficar receosa com a sexta-feira 13 que tá vindo por aí.

Tô cansada. Por mim, ia todos os dias pro trabalho a pé. Não subia em cima de uma moto nunca mais. Por mais que eu cuide, por mais que eu me esforce, por mais que eu faça o que é possível pra ter todo o cuidado comigo e com os outros, não adianta... sempre vai ter um filho da puta pra cruzar na minha frente, pra vir de ré contra a minha moto, tá entendendo? Um filho da puta desses não tá nem aí se a gente tem família, se a gente vai se foder, se a gente vai morrer... Um filho da puta desses faria um favor pra humanidade se jogasse o carro contra uma árvore - pobrezinha da árvore. Um filho da puta desses deveria ter vergonha de sentar na frente de um volante.

Todas as vezes, TODAS as vezes, quem evitou os possíveis acidentes fui eu. Que ódio! Eu sou a primeira que tira sarro quando uma mulher faz barbeiragem, risca a marcha, esquece o pisca ligado... mas eu nunca vi uma mulher colocando a vida de um pedestre, ciclista, motociclista ou outro motorista em risco. Não digo que não existe mulher filha da puta. Mas eu nunca vi.

Não quero entrar debaixo de um ônibus que cruzou a minha preferencial. Deve doer. Não quero bater o carro contra um Astra sedan 4 portas que, vejam vocês, também cruzou a minha preferencial. Com certeza o seguro do Astra é maior do que o seguro do carro daqui de casa. Não quero entrar pelo vidro de trás do carro do motorista acéfalo que resolveu dar ré bem na minha frente. Os cortes do vidro não me agradam.

A única coisa da qual eu tenho certeza neste exato momento é: a sociedade é um saco. Mas um saco bem grande e cheio. E insuportável. E fedido. Tá na hora de levar esse saco pro lixo.

3 comentários:

Marcelo (Metalian) Matos disse...

Já dizia aquela que canta aquela musica famosa que não lembro o nome que é assim:
"Joga fora no lixooo, joga fora no lixooo, joga fora no li-i-i-xo" uheuhaehahauhea

Ta tdo mundo loco! Mais um poco e td mundo explode...e quando alguém explode...pode ser tao devastador quanto uma bomba nuclear

Não expluda pessoa não expluda!!! uhaeuheuhea

Vá prum bar beber e escute um Slaaayer, ai vai fica bom. Cuidado: Se beber não dirija. E se escutar ssssssslaaaayeeerr, não fique perto de objetos pontE-agudos, uhhuaehuhae

e as novas regras ortográficas que se foda! e vá pro inferno! eiiiiitanois

Marcelo (Metalian) Matos disse...

Para registro - Som do momento:
Children Of Bodom - Hate Crew Deathroll

Van disse...

E somos essa sociedade...