Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Quem inventou o amor...

... me explica, por favor - já implorava Renato Russo, não é mesmo?

Nãnaninanão... não vá esperando ler um post adocicado e meloso sobre amor que ninguém merece, né. O que você vai ler são questionamentos, não espere encontrar respostas que façam algum sentido.

Enfim... não tô discutindo amor de mãe, pai, irmãos, amigos. Tô querendo entender esse tal de amor que deixa todo mundo insuportavelmente difícil de entender. Sei lá também se é o caso de entender alguma coisa, certo? A gente é quem tem essa mania humana de querer entender tudo quanto é coisa.

Mas, como humano, também não conseguimos deixar de questionar.

Por que a gente tem que amar?
Tá, tá, tá... a famosa resposta da perpetuação da espécie. Não que a gente precise amar pra perpetuar a espécie, né? Tipo... dizem por aí que é só mais uma "tática" evolutiva da espécie pra garantir a criação da cria. Aí tem todo aquele bla bla bla sobre a fêmea (que foi? somos animais também, não somos?) lançar mão de táticas para garantir que o macho supra as necessidades da cria... afe, isso me cansa.

Meio clichê dizer que a palavra AMAR é usada a torto e direito, mas cada um tem a sua concepção do que é AMOR. E, por favor, né... cada um de nós é dotado de senso pra entender que quando alguém diz que AMA chocolate, ela não quer dizer necessariamente que quer perpetuar a sua espécie com uma barra de GALAK, certo?

Bom... nem sei onde eu quero chegar com esse post... mas é que a gente se pergunta, né. Será que a gente ama porque tem medo de ficar sozinho? Será que a gente ama porque precisa ter atenção? Será que um dia eu vou ter uma família daquelas tradicionais? Por que tipo assim... não é meio assustador gostar tanto de uma pessoa que não é seu pai, sua mãe, seu irmão, seu filho... enfim... não é sangue do seu sangue... a ponto de dar chiliques por causa de ciúme... ou então dar chiliques porque a pessoa prefer jogar futebol do que ver novela com você... ou então dar chiliques porque a pessoa prefere dormir a discutir sobre a vida, universo e tudo mais com você?

Sei lá, isso me assusta. Porque quando a gente ama, fica muito vulnerável e besta e bobo e possessivo. E não me agrada a idéia de ser vulnerável, besta, boba e possessiva - detesto pagar esses micos e fazer tudo o que eu acho idiota. E, quando a gente ama, a gente tem umas preocupações meio inúteis. Tá... eu acho que sou meio egoísta e egocêntrica. E tipo... de repente eu comecei a achar a solução da Rita Lee a melhor do mundo - cada um na sua, mas com alguma coisa em comum. Ai, minha mãe morre de desgosto se desconfiar dos meus ideiais de casamento/homem/família perfeitos.

Por que eu não me vejo casada, com marido e filhos quando a maioria das minhas amigas de infância e colegas de escola estão casando, tendo filhos??? Não vou cair na tentação de falar que elas são fracas ou acomodadas, né... isso seria assinar um atestado de dor de cotovelo. Mas ao invés de casa, marido e filhos, eu penso em carreira, em dinheiro... ok, penso em casa também. E carro! E universidade! E dinheiro! Em roupas, sapatos... e dinheiro! Gente, isso não é ser meio egoísta? Eu quero ter filho também, néam... mãs pra isso tem que amar, aquelas coisas todas que dão trabalho...

Então... amar dá muito trabalho e eu acho que a acomodada sou eu. Vejam bem (meu pai *mode on*)... então, vejam bem... eu não tô dizendo que ninguém deveria amar nessa vida. E nem tô dizendo que nunca amei, e nem que nunca vou amar. A gente cospe pra cima direto e se ferra, senta na jaca.

É só que... sei lá... de vez em quando a gente precisa falar umas abobrinhas, né...

Ô caraio.

5 comentários:

Shogun disse...

Na minha opinião digamos que é muito mais uma carência a ser suprida. É uma nescessidade humana tal qual como a de querer ser, pai, mãe etc...

Isso explica por que algumas pessoas não são muito apegadas a relacionamentos, assim como não desejam ter filhos. Não que os dois sentimentos estejam ligados. É possivel alguem desejar ter um filho e não sentir vontade de estar com alguem, e o contrário também.

Também é preciso avaliar a vida familiar de cada um, agente cresce com bons e mal exemplos familiares. Alguem cujo os pais tiveram um casamento de sucesso, ou seja estão juntos de forma saudável, tende a querer pra si uma união igual. Eu no que se diz a casamento tive um péssimo exemplo em casa. Isso poderia fazer com que eu detestasse a ideia de casamento. E detesto, não a ideia de estar com alguem envelhecer junto e etc... mas a de me casar o ritual em sí.

Enfim, não é que agente tenha que amar, mas talvez apenas precisemos. Assim como alguns sentem mais fome que outros.

Agente fica meio idiota e vulneravel mesmo, mas quando é saudável é bom.

Bonitas e bacanas disse...

Lu, eu não sei no que penso, mas tbém não penso em casar e ter filhos.

Penso em fazer o que for, mas qdo quiser. Sem ter que pensar que tem um marido e trocentos filhos atrás de mim.

Gostei muito do post, pra variar.

Bem, cada um com sua vida, mas pra mim egoísta não é pensar em ser livre. É pensar em colocar um pobre coitado nesse mundo de merda só pra satisfazer uma vontade de ter uma família lindinha e fofinha.

Bjsss

Morgane Le Fay disse...

Quem inventou o amor???me explica por favor rsrsrsr

Eh nos somos humanos, felizmente ou as x infelizmente temos sentimentos...
Alguns mais, outros menos.. alguns se colocam numa redoma de vidro...
e que quando menos se espera ela eh quebrada...
Agente se questiona sim..mtas coisas...mas eu ja desisti de ter respostas...pq a maioria das minhas pereguntas n tem resposta..hehe Eh assim pq tem q ser assim....E aquelas que tem alguma respota..talves soh o tempo me dirá...

Filhos, Familia... nunca foi meu sonho de consumo...hehe..E coloca filhos nesse mundão de Deus ai..tah dificil..

Esse teu post me fez pensar e refletir sobre mta coisa...cá cmigo!!hehe

Bjus queridona.. =***

Van tulipa disse...

Às vezes parece que é medo.

Daniel disse...

Putz, ta aí um assunto que eu não conheço nada nada. Aliás, acho que muita gente não conhece.
Não sei que lance é esse de amar, tenho nem idéia, mas tenho minha concepção do que seja isso, mas não tem muito a ver com o que a maioria das pessoas pensa, é uma coisa mais "psicodélica". Mas sei lá né, não posso tomar nenhuma posição fixa de nada, a gente nunca sabe o dia de amanhã. Eu aprendi só que as coisas mudam tão rápido que é perda de tempo tomar alguma posição como total e absoluta, de maneira irredutível. A única posição que eu tenho e que nunca mudarei é a posição heterossexual, kkkkkkkkkkkk.