Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

O Brasil está mais politicamente correto?

Já vou avisando que faço posts grandes porque só quem realmente me interessa vai ler o post por inteiro...


Tô aqui vendo o MTV Debate super mal conduzido pelo Lobão, se quiserem saber. O cara não sabe conduzir um debate esquentado, meu. Põe ordem de inscrição, direito de réplica e tréplica, não é tão difícil assim, mêo, isso funciona com adolescente de 16 anos, porque não funcionaria com adultos? Ui, chega a me dar nos nervos!

Chega a me dar ondas de ódio de ver que um assunto mega interessante pra mim está sendo desperdiçado numa gritaria infernal no meio da qual o (suposto) mediador tenta retomar a ordem... gritando! Oi?! O objetivo é debater ou brincar de quem grita mais?

O assunto é sobre o Brasil estar mais politicamente correto. Vocês concordam?

Quero deixar bem claro que esse post não pretende ofender ninguém, nem defender ou detratar determinada classe, religião, etnia ou opção sequissual, pelamor!!!

Aquela velha história, né... você não pode fazer piadas sobre negros, mas chamar o branquelo de "polaco" pode. Não é de bom tom dizer que a pessoa é "da baixada", mas falar em "filho de papai" e "burguesinho" pode. Não saia por aí imitando ou contando piada sobre gays, mas piadas de corno, de adúlteros pode. A gente faz piada com o papa, mas se por judeu e muçulmano no meio, fodeu... Não conte uma piada de loira em frente de uma loira, mas piada de mulher - qualquer uma - pode.

Vamos por partes...

Todas as piadas politicamente INCORRETAS e CORRETAS lidam com a questão histórica e social dessas "minorias".

Negros, "da baixada", gays... todos considerados de "menor valor" pelo que SUPOSTAMENTE representam: escravo, pobre, desviado. Polacos, burguesinhos, adúlteros, católicos tem em si um sentimento de orgulho pelo que SUPOSTAMENTE representam: brancos, ricos, fodões.

O fato é que a gente pertence a uma minoria ou classe querendo ou não. Gordos, magros, estranhos, populares, ricos, pobres, negros, brancos, asiáticos, políticos, religiosos... todo mundo acaba se encaixando numa porra de uma minoria ou classe.

A questão é, se eu faço parte de uma minoria ou classe, que direito eu tenho de fazer piada com a minoria ou classe dos outros?
Resposta 1: Todo direito, se você não se sentir ofendido com piadas sobre a sua minoria ou classe.
Resposta 2: Nenhum direito, se você se sentir ofendido com piadas sobre a sua minoria ou classe.
Resposta 3: Ficar ou não ofendido não te dá o direito de ofender outra pessoa.
Resposta 4: ?

A outra questão é, vamos parar de fazer piadas sobre as pessoas e coisas porque sempre vai ter alguém que vai se sentir ofendido?
Resposta 1: Seria o ideal.
Resposta 2: Impossível.
Resposta 3: Não, só poucos se sentem ofendidos.
Resposta 4: ?

E mais, até que ponto o politicamente correto é realmente correto? Porque eu penso assim ó: vai ligar pro que todo mundo fala? Não é mais inteligente devolver uma piada besta com outra mais inteligente do que ficar gritando por aí o quão preconceituosa a pessoa é?

Com certeza, essas piadas vieram para desmoralizar ou confrontar seus objetos. Mas será que não é anacronismo ficar repetindo que as piadas sobre portugueses existem por causa da insatisfação brasileira com a colonização? Que as piadas de gays existem para desmoralizar os homossexuais? Que as piadas dos negros são uma forma dos brancos demonstrarem "superioridade"?

Se por um lado algumas destas questões, como a portuguesa, ficaram há muito tempo para trás; por outro, outras questões como a dos negros e homossexuais, ainda são complicadas nos dias de hoje.

Então a gente pode fazer piada só com o que está superado?

No final das contas, e sem querer simplificar - mas já simplificando, o que conta mesmo é o bom senso. Tem muita gente sem noção que conta piadas agressivas ainda que sem querer.

Quando isso acontece na minha frente, a minha reação depende do tipo de sem noção e do grau de "gostabilidade" que eu tenho em relação á pessoa. Ou seja... eu posso ouvir piada de negros e não mover um músculo sequer porque o idiota que contou a piada teve intenção de ofender. Ou posso ouvir uma piada de negros e rachar de rir, porque estou entre amigos e já rolou piada de alemão, polaco, negro, brasileiro, judeu, argentino, homossexual.


Sem contar a eterna discussão de você poder ter orgulho de se dizer negro, mas ser taxado de fascista de declarar seu orgulho por ser branco. Questão complicada, né? Que envolve séculos de história, séculos de confronto, séculos de opressão e exploração - sem cair na chatice marxista, por favor. Quem sabe renda um outro post? Talvez não...

Vocês acham que eu tô muito "em cima do muro"? Tanta gente fala mal de quem fica "em cima do muro", mas ser totalmente radical para um lado ou para o outro não me parece uma alternativa atraente, não por medo de represálias, mas pelo simples fato de não querer ser injusta...

Então... nadei, nadei e morri na praia.
=/

Eu só sei de uma coisa... não abro mão de piadas sobre:
* os GAYmistas (chamar gremistas de gays é uma ofensa... aos gays!)
* a curintiaNADA
* os argentinos

(_)
*_*

9 comentários:

Bonitas e bacanas disse...

Hahaha, ficou mais ou menos em cima do muro, mas deu pra entender pefeitamente.

Bem, eu não ligo pra algumas piadas, como a de loiras (mesmo pq nao sou loira, estou loira. mas, enfim, nem todos sabem, né?). De mulher, algumas acho só babacas, mas não chego a me incomodar. Só se eu sober que a pessoa que tá contando é filha da puta mesmo e não tá fazendo piada, tá falando a opinião dela.

Contar, eu não conto piada nenhuma, nem politicamente correta nem não politicamente correta. Sou chata hahaha

Mas rio se alguém me conta alguma piada engraçada, sim.

De qq forma, tento tratar todas as pessoas de forma igual, gays, negros bla bla bla. Preconceito desse tipo eu realmente não tenho e fico bem puta qdo alguém demonstra algum, mas confesso que se cejo alguém pobre olhando muito, fico com medo de ser assaltada...

E o Lobão é um babaca.

Cy disse...

Ahh poisentão..
Eu acho q paida eh piada.. e eu mesmo faço piadas machistas..sobre mulhres..
Soh que não adianta tem gente se ofende.. mas o que acho ruim..eh quando isso passa de piada e relamnete tu faz a piada com intenção de ofença.. por preconceito.. ai realmente eh chato..

Bruna Belatriz Brasil disse...

Achei super legal o post e entendo seu "em cima do muro". É tão complicado exprimir nossa opinião né. Interessante esse negócio aí de orgulho negro né. Eu posso dizer que tenho orgulho negro (porque uma das minhas avós era mulata, negra, cafuza, sei lá, pele escura - a pele dela era escura e ela falava SOU PRETA - se eu falar isso pra algum afro-descendente que eu não tenha afinidade, como o meu amigo Vini, bem tipico to lascada) e que sou branca, digo branquela, porque minha cor é branquela (se eu sair por aí dizendo que tenho orgulho de ser branca vão me crucificar). É complicado, porque se fala em democracia, respeito e direitos iguais: pro pobre, pro indio, pro judeu, pro negro, pro asia´tico. Se esqucem muitas vezes que o branco também pode ser pobre, que a Saúde Pública é pra dar assistência pra todo mundo (não é porque se tem dinheiro que a pessoa não pode ser atendida no SUS, já ouvi várias vezes essa). Eu acho que nessa caminhada da busca de direitos iguais acabou-se excluindo cada vez mais, segregando cada vez mais, criando novas discriminações, o que é uma lástima. E Senhor do Céu, quem foi a mula (desculpa animal mula) que colocou o Lobão de mediador, ele mal consegue conversar civilizadamente. Ele é louco kkkk. Beijos.

Shogun disse...

Ah Luh você é uma fazedora de média hahahaah

Na boa eu não perco a piada jamais, dane-se quem não gostar. Sou barrigudo(mas sexy, uh baby), filho de nordestinos, com descendências árabes, flamenguista e carioca. Enfim um prato cheio para piadas.

Então eu não perdôo ninguem, quem se sentir ofendido tem duas opções:

Discutir comigo, mas pode se dar mal.

Tentar fazer uma piada maior sobre mim, e se for engraçada irei rir e devolver outra na hora. Se ele continuar ofendido de novo faz um looping e volta pra primeira opção.

Bonitas e bacanas disse...

Super Lu, super obrigada pela explicação!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Prciso procurar esse programa aqui, não sei se tenho. Vou tirar o creme do cabelo e aí procuro. Fica bonitinho pequenino, né?

Briogadaaaaaa

Bjsss

Van tulipa disse...

CUrintiANUS!

Bonitas e bacanas disse...

Lu, pior que eu me racho com vc tbém hahaha Ainda bem que eu moro sozinha hahaa, mas às vezes (sempre) leio no trabalho. Mas o pessoal tá acostumando com minhas risadas loucas.

Este é meu blog preferido.

Bjsss

Bonitas e bacanas disse...

Não tenho o programa, viu. Pelo menos não achei. DIminui no photoshop, mas não ficou baixinho. Mas tá bom.

Bjsss

Bonitas e bacanas disse...

Ai, Lu. Fiquei com dó, mas "gostei" da sua descrição...rs

Gente do céu. Não fala isso. Não é gripe suína, não. Não que seja o fim do mundo, mas é melhor não ter, né?

Olha, lá no meu trabalho tem um monte de gente passando mal, hoje até chamaram uma ambulância pra uma menina. Mas foi só um mal estar. Espero que o seu seja só um mal estar, viu??

Tome o chazinho, se cuide e depois dê notícias!

Bjsss