Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Você quer estudar História?

Então vem cá, vamos conversar... Deixa eu te contar algumas coisas que você precisa saber a respeito da graduação em História. Calma, eu não vou falar mal dos professores marxistas e dos alunos capachos deles. ´Vou só te dizer o que você precisa saber sobre estudar História num curso de graduação.

* Você não vai aprender datas, relaxe. Isso só lembra quem é aquele CDFzão ou aquela com memória de 2 terabytes. Entretanto, quando souberem que você faz/fez/tentou fazer História, os bobo-alegres vão querer saber datas do tipo "quando o Brasil assinou o tratado de amizade com as tribos de eskimó do norte extreo da Alaska?" E quando você disser que não sabe ou não faz idéia, eles vão te olhar com cara de bobo-alegres ao quadrado e não vão te respeitar, porque eles acham que historiador e calendário são sinônimos.

* Você não vai estudar fatos/acontecimentos. Eles estão aí nos livros de História pra quem quiser ler ou aprender ou decorar.

* Você vai estudar historiografia. Isso significa que você vai analisar COMO os historiadores entenderam e interpretaram a história. Vai analisar os discursos desses historiadores e os discursos das fontes que contam sobre a época estudada. Exemplo: se você está estudando a Revolução Industrial, você vai analisar como a burguesia e os industriais justificavam a exploração, vai analisar escritos, manifestos da época para saber como os operários se sentiam e lutavam contra essa exploração. Mas não espere uma aula do tipo: Revolução Industrial começou dia tal em tal lugar, terminou dia tal, a causa foi essa, a consequência foi aquela e ponto final.

* Você vai ter que tomar uma posição: marxista, nova-escola, o diabo a quatro... mas vai ter que tomar. Seja no início do curso, seja no final, ao escolher a linha teórica que vai nortear teu TCC (trabalho de conclusão de curso, ou monografia). Quando tomar essa decisão, prepare-se para os opositores. Eles geralmente são fanáticos. Para alguns desses fanáticos, a diversão parece ser atazanar colegas de teorias diferentes e puxar o saco dos professores mentores.

* O TCC é uma porcaria, deixa muita gente estressado, você não reconhece mais os colegas que estão ou puxando os cabelos de tanto desespero, ou enfiados no quarto na frente do pc escrevendo páginas e mais páginas sobre o assunto do TCC. Alguns, como eu, nem conseguem passar por essa fase e ficam no meio do caminho, por várias razões. Pra evitar diz-que-diz, já adianto que larguei porque percebi que não consigo produzir historiografia. Não sou capaz, ponto final. Poderia culpar milhões de gente, meus orientadores, mas a verdade é que EU não consegui.

* Você vai ter que ler, falar e escrever bem. Ler os textos e ter capacidade de compreendê-los. Falar bem vai te ajudar nos seminários e apresentações de trabalho, defesa de TCC: perca a vergonha. Se acha que não vai conseguir perdar a vergonha, procure ajuda. Escrever é alma da História, né. A maioria das fontes é escrita, até mesmo as entrevistas devem ser transcritas. Vai se acostumando a ter que ler milhões de páginas, falar na frente de uma turma de FPD que tá querendo mais é que você se dane, e escrever muito bem.

* Muita gente diz que professor de facul não dá aula: larga os textos no xerox, manda você ler e apresentar um seminário. Não deixa de ser verdade. Mas pensa comigo: você não está mais no colégio. A sua mãe não vai pegar o telefone pra falar com o seu professor - e se ela fizer isso, camarada, vai ser o seu fim. Você tem que correr atrás das coisas. Você vai ter que aprender a aprender. Nada de "professor tal não explica direitinho". Isso é papo de colégio. É você que tem que se fazer sozinho.

* Você vai encontrar professores filhos da puta. Mas vai encontrar professores gente fina que vão te ajudar.

* Prepare-se para as (quase obrigatórias) manifestações do colegiado de História, que se mete em qualquer panelaço existente, até mesmo pra defender o direito a vida da borboleta albina do sul da África.

É uma delícia, mas é um saco.

E se eu lembrar de mais alguma coisa, posto aqui.

4 comentários:

Bonitas e bacanas disse...

Lu, eu já, há muito tempo, pensei em fazer tal curso.
Aí fiquei com preguiça.
Agora, nem vou deixar a ideia nem voltar à cabeça hahahaha

Lu, tbém to super sem tempo. Vou dar um tempinho do blog, acho. Mas vou tentar passar sempre aqui.
Bjsss

Lana disse...

Será que é problema de Lucianas não conseguir fazer monografia? Eu estou com a minha enrolada há anos, só que em Geografia.

Boa sorte, se for tentar...

Van tullip disse...

Eu não consegui. Tamojunto.

Daniel disse...

Po, lu, maneira sua explicação sobre o curso, eu já pensei em fazer esse curso, ta na minha gama de opções, embora não nos tops. Mas ficou bem mais claro como é o curso depois desse seu post.

Valeu !

;)