Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Como irritar pessoas usando a boa educação...

Educação é bom e a gente gosta. Mas algumas pessoas se assustam quando são tratadas com boa educação. Não sabem como reagir ou responder. Vocês já perceberam que isso é verdadeiro?

Olha, vou dizer uma coisa pra vocês... não acho que educação e bons modos sejam frescuras desnecessárias. Por outro lado, não há necessidade de formalidades a todo e qualquer momento. E, como ponto negativo, a "boa educação" tende a ser machista demais, opinião inclusive da Cláudia Matarazzo que escreveu um livro chamado "Etiqueta sem Frescuras".

Mas eu ainda opto pela boa educação porque eu parto do princípio "não faça aos outros o que você não quer que façam com você". Simples assim. Como eu gosto de ser bem atendida, eu atendo bem. Como eu gosto de ser bem tratada, eu trato bem.

Vamos com cuidado, não comecem a me achar hipócrita e falsa. Eu não gosto de todo mundo que trato bem, mas é uma questão de sobrevivência social: desnecessário dizer que é horrível viver em pé de guerra com todo mundo a toda hora. Tratar bem as pessoas não quer dizer que você tenha que concordar com tudo que a pessoa te diz. Existem várias maneiras de dizer  o que pensamos, e escolher a maneira e o tom apropriado para cada situação não é tão difícil assim pra mim. Bem coisa de geminiano "duas caras", né?

Enquanto alguns chamam isso de "duas caras", eu chamo de diplomacia - e ganho pontos por isso. Qualé, gente... a fase de acreditar num mundo mais justo, belo e honesto já passou. Eu preciso dos outros para continuar a viver: meu emprego exige determinados comportamentos e quanto mais contatos, melhor. Ter boa educação não me custa nada e só me traz benefícios.

E tem aquelas pessoas com quem não se consegue ser educado nem que se queira. Nesse caso, eu faço questão de demonstrar meu desprezo mesmo, já que nada que vem destas determinadas pessoas me atinge e eu desprezo tudo o que elas falam, usam, pensam, produzem... Ainda bem que não são muitas pessoas assim.

Outra coisa que destesto que façam na minha presença - e na minha ausência, lógico, é que destratem garçons. DETESTO. A pessoa está lá na correria, tentando não errar, mexendo na sua comida e bebida e o povo ainda destrata o cara? Desnecessário. Não é a toa que reza a lenda que os garçons se vingam na comida do freguês.

Mas o ponto principal não é a maravilha de ser uma pessoa educada. O ponto principal é como irritar os outros com boa educação.

Todo mundo adora uma boa briga. Adora ter assunto pra falar dos outros. Eu adoro, um monte de gente adora. As pessoas esperam que você não tenha educação. Que coisa mais besta! Elas esperam que você as trate mal, talvez porque se sintam menos culpadas quando tratam mal os outros... talvez porque depois vão ter sobre quem falar na roda de chimarrão... whatever.... o fato é que as pessoas esperam ser maltratadas.

Aí é que entra o meu bom (ou mau?) humor. A pessoa fica totalmente desconcertada, totalmente sem fala, totalmente sem saber para onde olhar ou o que falar quando são bem tratadas.

Já aconteceu em várias situações inusitadas... desde o açougue do supermercado, até balcões de farmácia desta cidade "tão" acolhedora. Filas de banco, então, nem se fala.

A pessoa não sabe responder um "bom trabalho pra você". Te olha com cara de bravo se você espera ele passar primeiro na porta giratória do banco pensando "o que você está fazendo aí parada olhando com essa cara pra mim?"... que idiotas! Ao invés de agradecer alguém educado, elas olham com cara feia! Tipo quando as mocréias estão caminhando no MEIO da rua e você pára o carro pra que elas possam terminar de cruzar a rua sem serem atropeladas... poucas são as que agradecem! A maioria, numa tentativa orgulhosa de manter a pose, faz cara feia....

O que mais deixa as pessoas desconcertadas é o "bom trabalho pra você". É matador, principalmente depois de um mal atendimento. Algumas pessoas discordam totalmente de mim. Eu não tiro a razão delas. É foda ser maltratado e ainda permanecer com cara de anjo e desejar um bom trabalho. Tem vezes que eu também devolvo na mesma moeda, como é o caso do cartório desta cidade. Já mandei o cara de lá baixar o tom comigo, porque eu estava lá justamente em busca de informações, não trabalhava em cartório e não sabia todos os procedimentos. Entretanto, disse isso de uma forma tão suave e com cara de vítima, que o cara pediu tanta, mas tanta desculpa, que eu nem fiquei com vergonha de ter dito pra ele baixar o tom. Sim, eu tenho vergonha de xingar as pessoas na lata. Talvez seja por isso que a minha arma seja a boa educação.

Alguns casos que eu adoro lembrar:

O cara do açougue ficou putaço porque ele fatiou 200g de muzzarela e eu não disse pra ele que queria uma peça de 200g, e não fatias. Aí, enquanto ele cortava a peça, um cara mais idiota ainda que ele chegou e começou a maltratar o cara na minha frente, só porque o açougueiro não tinha entendido a pergunta do freguês. Quando o cara me entregou a peça de muzzarella, eu disse: "pô, que chato esses caras sem noção, adoram estragar o dia dos outros, nem dá bola!"... O cara não sabia se chorava, se agradecia, se concordava. Nunca mais ele me destratou naquele supermercado.

Caixa de supermercado mau-humorada é lindo também. A caixa de leite passou 5,00 a mais do que o preço correto e eu perguntei se o preço do leite desnatado era diferente. A mulher me fuzilou com os olhos, arrancou um pacote de leite de dentro da caixa e constatou: o preço estava errado mesmo! Teve que chamar a supervisora pra destrancar o caixa e desfazer o lançamento. E a supervisora fez uns comentários desnecessários na minha frente. A caixa teve que me pedir desculpas, é claro. Mas eu vi que os ombros e os músculos relaxaram quando eu disse "magina, não foi nada, isso acontece... ainda mais na correria que deve ser pra vocês trabalhar numa sexta de tarde..." Claro que no fundo eu pensei "Vá se foder, sua mané..." Pensei mesmo, ué. Mas quem passou a vergonha foi ela, que me tratou mal.

Ah, eu adoro irritar as pessoas usando a boa educação. Quando eu sei que a pessoa foi uma filha da puta comigo, então.... nuss... o desconcerto e a vergonha é tão grande que a minha vontade, depois de ser educada, é apontar o dedo na cara da pessoa e rir bem alto - o que não seria educado.

Cada um usa as armas que tem. Educação é bom e a gente gosta - principalmente se for pra irritar os outros!

*****************************

PS - Van (Bonitas e Bacanas), eu gostei da brincadeira que você postou no blog e assim que der eu vou postar no Vagabond também! Não sei se o meu comentário apareceu (eu fechei o blog e a janela do comentário sem querer, antes de ver se o comentário tinha sido processado), mas muito obrigada por ter lembrado de mim e me indicado! Fiquei me achando!

8 comentários:

Shogun disse...

Contar um causo:

Essa semana pela primeira vez pus os pés na rua depois da cirurgia. Foi ao banco, estava aguardando na fila mas me sentindo cansado pelo esforço. Eis que quando chega a minha vez de ser atendido os caixas param de ateder e começam a fazer pagamentos.

Eu me dirigi a um caixa e pedi educadamente para que ele me adiantasse e efetuasse meu pagamento que ra apenas um boleto.


Ele retrucou dizendo que não tinha me chamado. Respondi qie eu me encontrava operado e estava sentindo dores. E se ele me poderia fazer essa gentileza já que eu era cliente da agência.

Eu já tava disposto a levantar a camisa e mostrar os pontos, quando ele se convenceu com o argumento de que não adianta muito eu ser cliente da agência e não ter direito a um atendimento rápido quando preciso.

Ele fez o pagamento de cara feia, dei um muito obrigado e desejei um bom trabalho, heheheeh a cara dele de sem graça e puto foi ótima.

Cy disse...

*Lu e os chiliques...uhauha
Mas pior q eh tb, faço bem dessas..
Acho q a boa educação desmonta com certas pessoas..
=**

Maria' disse...

Nunca me passou pela cabeça em fzer isso, qndo alguem me destrata faço cara feia tbm, mas adorei, vou por em prática jáa.!
bjks.! adoro o blog! =]

Vanzoca disse...

Top five do ano esse post.

Bonitas e bacanas disse...

Lu, concordo com vc em quase tudo. Acho que tem hora que tem que ser falsa, como no trabalho. Mas do jeito que vc falou, a falsa civilizada, não a falsa filha da puta.
E ser educada nas situações que vc citou, da caixa e do atendente, faz bem msm. Acho ridiculo gentalha que destrata trabalhador ou gente de classe mais baixa. Nossa, patético. A de esperar esses malditos lentos lesmas atravasserem a rua e nem agradecerem tbém me dá vontade de descer do carro, arrancar o limprador de pára brisa e furar álguém. Porra, eu vou lá toda educada, querendo contribuir para o respeito entre os seres humanos, a cordialidade, e a besta ou anda feito uma lesma com deficiência motora ou nem agradece. Ah, vai se catar. Da próxima vez passo por cima.
Bem, disse que concordava com quase tudo pq tem dias, que nossa senhora, estou descontrolada.
Olha sõ q engraçcado. Hoje eu e minha amiga estávamos falando de loucuras na hora do almoço.
Eu estava contando que ontem, depois de pegar um transito do inferno de horas nas imediações da Paulista (que é tudo subida, dói até o dedinho do pé de tanto pisar no pedal do carro) pra buscar meu gato, que tá doente há duas semans (ou seja, estou pegando esse transito do inferno há 2 semanas), parei na padaria pra comprar um lanche rapido, pois nao ia cozinhar. Pois bem. A padaria fica num cruzamento de 4 farois e pra sair, tem que manobrar num espacinho curtinho, pq na rua não dá. Eu manobrando e o povo passando. Passou um cara com cachorro, esperei. Passou uma mulher com criança, esperei. Passou uma menina, esperei. Até que consegui manobrar. Qdo estava esperando o farol fechar pra eu sair, passa um cara do lado do meu carro, todo feliz da vida, saca, olha pra mim e brinca: "bi bi" e dá um sorriso. Eu olho com aquela cara de mal amada, sabe, e solto: é nessas horas que eu queria ter uma arma pra matar um fdp desses.
Coitado do cara. Todo feliz e encontra uma fera haha

E minha amiga tava contando que a irmã dela, que é bem louca normalmente, tava no fim de um dia quente (ela incha no verão, o que ~e bem desconfortável) indo ao supermercado com minha amiga e o pai. Fim de ano, estacionamento cheio. Ela finalmente acha uma vaga. Vai estacionar, dá seta. Uma mulher acelera e pega a vaga. Ela larga o carro de qq jeito e sai gritando: eu vou te matar! eu vou te matar AGORA!

hahaha. AGORA. Que louca. E o coitado do pai dela, desesperado, falando pra minha amiga: Alice, pega o celular, liga pra polícia

Hahahaha

Nossa, nem se4i pq contei isso.
Bjss

Bruna Belatriz Brasil disse...

"Elas esperam que você as trate mal, talvez porque se sintam menos culpadas quando tratam mal os outros... talvez porque depois vão ter sobre quem falar na roda de chimarrão... " Me rachei de rir, afinal, aqui no velho Oeste é tão comum isso com aquela gente com sotaque alemoado kkkkk. Me identifiquei muito com você ehheeh. Também faço muito disso, mas adoro ainda mais fazer com uma fulaninha mal comida que tem na biblioteca da faculdade hehehe. Beijoss

.:.A Luciana.:. disse...

Gente, eu adorei ter lido todos os comentários e histórias de vocês! É tão bom saber que a gente não tá sozinho nesse mundo insano!

=***

Erms disse...

gosto de curita porque aqui tem esse tipin di genti, mas tbm tem tds os outros tipins.

hoje no cinema por exemplo, a doidinha errou o troco e ainda me tirou pra ruim de conta, então, muito educadamente, eu dei três socos na cara dela para q ela aprendesse e mostrei quem manda ;)