Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Eu assisti...

2012
É bem o tipo de filme que eu adoro: o mundo acabando, prédio caindo, coisas explodindo, e os personagens da história sobrevivendo a cada coisa que não dá pra acreditar. É por isso que eu gostei do filme, mesmo com um monte de falhas, sobre as quais eu vou falar no final deste parágrafo. Não dá pra comparar com O dia depois de amanhã porque este era um filme cuja ameaça tinha a ver com mudanças climáticas. Já 2012 tem a ver com mudanças climáticas que afetam o centro do planeta e dão condições para que as placas tecnônicas se desloquem e desencadeiem o caos ao redor do planeta. Terremotos colossais seguidos por tsunamis são a maneira pela qual o mundo acabaria.  Ajudou muito o John Cusack e a Amanda Peet serem o "casal" do filme, embora sejam separados na história. É um filme que começa com várias histórias desconexas que vão se ligar no final do filme. Tem a história da família que tenta se salvar da tragédia. Do filho que tem raiva do pai separado da mãe e muda de postura ao longo da trama. Tem os americanos no centro das decisões. O presidente dos EUA (Danny Glover, lembra de Máquina Mortífera?) e o cientista da linha de frente são negros - não é a primeira vez que o presidente dos EUA é um negro. Ambos são os "justos" do filme. Falhas do filme - COM SPOILERS!
* Gente, o povo é ninja nesse filme! É cada manobra com limusine, trailler, avião pequeno, avião grande. Jé-zuis. Diz o Emmer que ele aprendeu que pode entrar num prédio caindo e sair pelo outro lado dele. Ui.
* Justamente por essa coisa "ninja" que o filme escorrega: é cada escapa impossível que chega uma hora que você chega a torcer pra eles não escaparem. Mas eles escapam.
* Como assim eles ficam presos em três compartimentos diferentes e o compartimento do meio enche antes do que o primeiro compartimento na ordem de inundação? Só pra matar a loira do filme? Coitadinha, no final do filme eu já estava até gostandinho dela, tava com dó e tals...
* A hora em que o John Cusack escapa da cratera por onde o trailler onde ele estava cai é meio forçada. Como que ele consegue subir e não cair na cratera junto com o trailler? Daí, quase no final do filme, o novo marido da ex-mulher dele está em uma situação bem menos difícil e não consegue subir, morre! É, eu falei que ia contar spoilers. Ele morre. A gente chegou á seguinte conclusão: deram um jeito de matar o personagem pra que o John Cusack pudesse voltar para os filhos e a mulher.

Mesmo assim, eu gostei demais do filme. Assistiria de novo, mas no sofazinho de casa!Ano 01


Com o Jack Black. Precisa falar que é de comédia? Não, né? Uma comédia do começo dos tempos, que vai seguindo uma linha "mutcho lôca" do tempo... Uma hora, vemos os homens da caverna, que se encontram com personagens e situações bíblicas. No fundo, é uma crítica engraçada a vários costumes e crenças que temos por causa da religião e tals. Precisa falar que as situações estão todas satirizadas? Não, né. Mas já disse. Destaque pra cena da perseguição de Caim. RA-CHAY!
Não é assim um filmãooooooo de comédia. Já ri mais com outros. Mas o Jack Black é o Jack Black, néam.


O menino do pijama listrado
Só vou dizer uma coisa: choray... Choray bicas... Choray até secar as lágrimas. Choray de raiva, de ódio, de indignação de ainda ter gente nessa vida que gosta de se achar melhor que os outros. Choray de ódio por ver que ainda tem gente que não aprendeu com os erros do passado, que nega fatos provados através de documentos históricos, que prega a intolerância . Choray tudo nessa vida. E o menino do pijama listrado me lembra alguém, talvez algum aluno ou priminho. Daí choray mais ainda. Coisas que você precisa saber: é sobre a II  Guerra Mundial, mas não se vê guerra. É sobre nazistas e os campos de concentração. É sobre a amizade entre um menino alemã (eu não disse "nazista") e um menino judeu.  E é sobre chorar tudo nessa vida, gente. Não é um filme desnecessário, mas é fofo. E triste, muito triste.

E chega, né?

Um comentário:

Rayssa disse...

Oieee, to loucaa de vontade de ver esse filme
adoroo filmee assim, muitos efeitos especiais e tals
mais vou ter que esperar lançar em dvd :S
Beijooos