Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

sábado, 5 de dezembro de 2009

360º

360º é uma volta inteira. Sai de um ponto, percorre um círculo (é isso?) e chega ao mesmo ponto.

Quando você acha que a vida está tranquila e calma, acontecem coisas que você nem podia imaginar e sacodem a sua vidinha pacata. As "bombas" estouram e, de repente, você se vê jogada num turbilhão de coisas, de palavras, de histórias, de emoções. Decisões precisam ser tomadas, posturas precisam ser assumidas, precisa-se optar por um dos lados. Mesmo quando não se quer.

Os planos que você tinha feito pro futuro, os sonhos. Todos eles pendendo numa corda bamba. Todos eles dependendo de coisas independentes a você. Você vê que eles estão escapando pelas mãos, e que você já fez tudo o que podia fazer para que as coisas não escapem do seu controle - mas agora não depende mais de você.

Você acha que pode contar com as palavras das pessoas, e descobre que não é bem assim. Você espera que elas cumpram com o que disseram, e depois vê as mesmas pessoas se omitindo por medo, por insegurança. Você fica com raiva, mas depois entende as razões dessas pessoas. Mas o sentimento de abandono é grande mesmo assim.

Você percebe que vai ter que arcar com determinadas posturas e escolhas sozinha, quando te disseram que estariam do seu lado e na mesma situação.

Você percebe, de repente, que o ano que vem pela frente é incerto, e que você não gosta de incertezas.

Você se pega torcendo para que o tempo passe logo e cure todas as dores que determinadas situações te causaram ou causam. O tempo passa, você envelhece, e a dor ameniza. Você sabe que o tempo cura tudo, mas o fato de o tempo passar devagar deixa tudo mais difícil ainda.

A gente envelhece. E eu não quero envelhecer.
A gente não pode evitar coisas que a gente gostaria de evitar.

Mas um giro de 360º é é uma volta inteira. Sai de um ponto, percorre um círculo (é isso?) e chega ao mesmo ponto.

Ou seja... eu estou começando a dar essa volta. Ainda não sei se ela é uma volta grande ou pequena, e se vai demorar ou não. Mas eu vou acabar chegando no mesmo ponto de onde saí. E então, provavelmente, eu vou começar outro giro de 360º.

Não gostaria que isso estivesse acontecendo comigo e com alguns dos meus colegas. Fugir não está na lista de opções. E o melhor é, chavão, erguer a cabeça e enfrentar as coisas de frente. Uma hora vai passar, a poeira vai baixar.

Numa hora dessas, a gente acha que não tem saída. Mas depois que pensa com lógica, vê que existem várias portas que você mesma abriu. Várias portas que ainda cabe a você abrir. E vê que, ás vezes, um giro de 360º é tudo que você precisava pra levantar a bunda gorda do sofá e correr atrás de uma coisa que você quer muito, e que vem adiando há tempos.

No final, tudo vai dar certo, né pai? *_*

E eu vou dar esse giro de 360º como se fosse uma voltinha de roda gigante.

2 comentários:

Van disse...

Se ousar não dar certo eu viro nude.

Daniel disse...

Aí Lu, ele reconheceu a sua planilha na boa, kkkk, maneirão, vou usá-la. só vou dar uma personalizada e em 2010 começo devidamente organizado financeiramente, kkkkkk.


Po, Lu, eu acho que dou essas voltas de 360 direto desde que nasci praticamente, em certas áreas... infelizmente. Gostaria é de dar uma de 180 em certas coisas, kkkk, mas quando a gente ta quase no ponto de 180 e dá uma deslizada de leve já era, volta pra 360.
Se a vida fosse como o jogo do Tony Hawk a gente ia estar cheio de pontos kkkkkkk

;)