Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Diário de Férias, Parte II - O Porre

Não que eu ache bonito beber, cair e levantar. Não que eu esteja fazendo apologia á bebida. Mas ontem eu mereci, hein...

Enchi a cara na minha casa, com meus amigos e com o mínimo de classe e dignidade. Nada de ficar caindo pelos cantos da cidade ou ser carregada.

Bebi pra comemorar o ano infeliz que está quase acabando. Todos os anos ímpares são uma droga. Ainda bem que 2010 está começando e é um ano par.

Bebi pela raiva que eu passei no começo desse ano. E pela raiva que eu passei no final desse ano também. Não bebi porque estava com raiva - que isso fique bem claro. Bebi em homenagem á minha vitória nesses dois momentos difíceis. Se for pra beber, que seja pra comemorar - chega de gente deprimida que acha lindo encher a cara (e o saco dos outros).

Bebi pra comemorar o Vestibundar da Viadeste.

Tenho dores no corpo que não sei como consegui, uahahahahah. Minha testa tem um "galo" de cinco metros e meio que eu não sei de onde saiu. Eu acho que eu bati com a testa na torneira do banheiro da piscina. Mas há possibilidades de eu ter batido a cabeça na beirada da piscina. NÃO LEMBRO!
 Meu irmão FDP fez questão de fazer vários filminhos comigo sem condições nenhuma de falar coisa com coisa... Ele com certeza vai me chantagear a vida inteira por causa disso. Mal sabe ele que, assim que ele esquecer essa história de bebedeira, eu vou apagar os vídeos. Rá!

Minha mãe riu que se rachou - ela sabe que eu não faço isso sempre. E ainda fez um café pra mim quando eu finalmente entrei em casa, depois de todo o fiasco. Acho que foi esse café que não me deixou com ressaca.

Agora eu entendo porque as pessoas conseguem morrer afogadas no raso. Experimenta encher a cara e afundar na piscina. Aliás, NÃO EXPERIMENTA! Não que eu tenha me afogado... mas é tão legal ficar lá embaixo, flutuando e coisa e tals. Nem dá vontade de voltar pra superfície.

Hoje de manhã, adivinhem, acordei com sede. Poderia beber o oceano pacífico se ele não fosse salgado. Nada de dores de cabeça e ressaca. Bendito café de mamãe. Já o meu irmão, kkkkkkkkkkkkk. Ô dó. Eu que bebo e ele que fica de ressaca.

E, antes que eu me esqueça: obrigada, Merlim, por eu ter podido ver o Emmer chapadão! Ri tanto.

Só tenho certeza de duas coisas hoje:

1) Não quero mais saber de piscina por um bom tempo. Tomei tanto caldo, bebi tanta água que eu acho que consigo ficar hidratada até 2012.

2) Não quero ver álcool na minha frente até a minha formatura. Nem álcool de limpeza! Nada! Só Smirnoff Ice. Mas bebi tanta, tanta... mas tanta Smirnoff Ice que eu acho que enjoei. Tomara!

É lógico que não rola nenhuma foto e nenhum vídeo. Eu ainda tenho um pouco de dignidade, néam!

Néam?!

Um comentário:

Daniel disse...

kkkkkkkkkkk
Lu e suas biritas, kkkkkkk