Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

sábado, 28 de agosto de 2010

Apenas mais uma de amor.

Eu sinto falta, sabia?

Sinto falta de ter aquela paixão "wow!" que as pessoas vivem tendo. As pessoas estão sempre apaixonadas. Se não por alguém, por alguma coisa sobre a qual não param de falar/pesquisar/ler/ouvir.

Quando nos apaixonamos, todas aquelas coisas clichês acontecem: acordar de manhã é mais fácil, decidir qual batom usar vira uma das coisas mais desafiadoras do mundo, o coração fica pulandinho que nem bobo, a gente quer rir de tudo. Eu detesto coisas clichês, reluto pra não cair na obviedade. Mas essas obviedades fazem falta.

Há quanto tempo meu coração não pula? Há quanto tempo que dar um sorriso tem sido um mero movimento de músculos? Há quanto tempo que acordar de manhã tem sido tão deprimente? Há quanto tempo eu não me apaixono? Mas aquela paixão de não conseguir pensar em mais nada mesmo? Aquela paixão de não deixar a gente fazer nada direito?

 A gente até se distrai. "Se distrai" kkkkkkkkkkkk... que coisa mais engraçada tentar usar palavras pra descrever sentimentos, sai cada coisa... Enfim... acontece que as distrações sempre acabam numa decepção. Às vezes é um ego que não cabe dentro do próprio corpo do indivíduo. Outras vezes, o indivíduo nem percebe sua existência. Ou então, a distância e falta de atitude arrasam com tudo.

Enfim... sinto falta de me apaixonar e de sentir aquela falta de ar gostosa quando o coração dá uma acelerada e as borboletas voam lá dentro da barriga.

Também sinto falta da Tallita, da Tamara, da Aline, da Luty, da Tina e da Cris. Era pra elas que eu contava tudo isso. Elas me ouviam falar sobre essas coisas de garotos e garotas, e eu as ouvia. Tudo bem que naquela época a nossa vida se resumia a escola e meninos. Pula essa parte. Só que essa cumplicidade eu nunca mais tive. Sinto muita, muita falta disso também.

Sinto falta de sentirem falta de mim.

Ah, o que um sábado á noite não faz com a pessoa, né?

=]

2 comentários:

Anônimo disse...

Ahhhhhhh, mas nem sempre é bom sentir o coração pular, pular que vc chega quase sair correndo atrás dele. "Meu coração guardei no bolso, mas apareceu um moço que tirou ele daquiii. Não, isso não é engraçado, um coração assim roubado, bate muito acelerado, DEVOLVE, MOÇOOO!!" OOOMMMGGGG!

Bonitas e bacanas disse...

Ai, Lu, te entendo, mas confesso que morro de preguiça de tudo isso haha
Prefiro, como vc diz, me distrair.

Bem, espero que vc ache o que vc quer.
Bjss