Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

domingo, 11 de setembro de 2011

♪ Lá lá lá, whatever! Lá lá lá, it doesn't matter...♫

Já ouviram essa música? Tão "eu" hoje...

Esse é um posto cansadinho pra dizer que eu estou cansadinha de ler tanta porcariazinha.

Sei lá... deve ser o meu mau humor que não colabora nessas horas, mas ler a timeline no twitter às vezes dá uma preguiça de existir, uma preguiça de continuar seguindo algumas pessoas, uma preguiça de comentar comentários bestas... "E aí, vai reagir como adulto ou como criança?" (Oi? Alguém mais lembrou das aulas do Osnir?). E, escolhendo agir como adulta, aceitando a liberdade de expressão das pessoas, eu vou deixando passar.

Mas quando a coisa acumula, né, aí eu espero que as outras pessoas ajam como adultas (pffffffff) e admitam a minha liberdade de expressão (pfffffffffffffffffffffffffffffffffffffff): AI QUE SACO.

Sério... qualquer imbecil sabe que a política imperialista norte-americana acabou culminando no ódio - justificável, admitamos - de várias nações e povos. Senso comum até aqui. Não precisa nem ser muito inteligente pra chegar à essa conclusão, portanto AI QUE SACO quando as pessoas acham que estão falando uma novidade sobre esse assunto. Se for pra abrir a boca (leia-se: "se for pra colocar os dedos sobre o teclado") pra falar uma coisa dessas, serião... POUPE O MUNDO DE MAIS UM LUGAR COMUM.

 Também não é preciso ser muito inteligente pra ficar justificando o ato de terrorismo contra os EUA com dados sobre as filhadaputagens cometidas pelos americanos contra outros povos e nações. A questão é: que MERDA de mundo é esse em que as pessoas resolvem suas diferenças como se fossem crianças de cinco anos de idade, mas com poderes de adultos?! Que MERDA de mundo é esse em que as crianças são criadas para serem intolerantes com o "diferente"?! Que MERDA de mundo é esse em que a matança de inocentes justifica outra matança de inocentes, num looping infinito?! Um pouco menos de lugar comum e um pouco mais de tolerância com culturas que são diferentes da sua. Um pouco menos de ganância financeira e um pouco mais de respeito pelas vidas de seres humanos, seja a nacionalidade/religião/cor da pele/opção sexual que for.

Tem judeu filhadaputa, americano filhadaputa, chinês filhadaputa, argentino filhadaputa, árabe filhadaputa, alemão filhadaputa, palestino filhadaputa, mexicano filhadaputa, índio filhadaputa, branco filhadaputa, negro filhadaputa, gay filhadaputa, hetero filhadaputa. Ou seja... tem filhadaputa em todo lugar. E tem muita gente que não é filhadaputa e não merece pagar pela filhadaputagem dos outros.

AI QUE SACO.

Me preocupa - E ME CANSA - ver que as pessoas levam essa coisa de ceticismo a sério demais. Ceticismo é bom, é saudável, é necessário, para que se evite extremismo, fanatismo. Mas quando se é um cético fanático... AI QUE SACO. Porque os céticos fanáticos caem na contrariedade de acreditar em teorias da conspiração, como aquelas que afirmam que a) o homem não pisou na lua; b) o Holocausto judeu não aconteceu; c) os atentados de 11/09/2001 foram forjados... Você vê céticos fanáticos puxando a sardinha pro que acreditam ser "o certo, o verdadeiro".

Só acho meio difícil negar as possibilidades físicas da "conquista da Lua" - talvez por uma limitação dos conhecimentos de ciência (física, principalmente): se a pessoa não entende que é possível, a pessoa vai lá e nega a possibilidade. Também acho difícil negar a morte de milhões de judeus, uma guerra mundial, duas torres do tamanho do mundo desabando... enfim, né... Just sayin'! Acontece que não chego ao ponto de ser ingênua de não saber os motivos de tanto ódio contra judeus e americanos, por exemplo. Não fico puxando a sardinha pro lado que eu acho que está certo. Pelo contrário, eu pondero. E, ponderando, eu chego à conclusão de que um erro não justifica o outro. O engraçado é que dizemos isso às crianças o tempo todo, mas nós, adultos, esquecemos de um princípio que pregamos como certo. Então por que cargas d'água saímos por aí justificando atrocidades, né?

AI QUE SACO.

Já aproveitando, é um SACO também que as pessoas achem que tem que discutir política, religião, futebol e o caralho a quatro num lugar como o Twitter. SÉRIO ---> YOU´RE DOING IT WRONG. 140 tornam as coisas superficiais demais, por favor. Daí que você vai lá e twitta a sua humilde opinião sobre alguma polêmica e vem cinco pra te encher o saco e querer provar que você está errada e a sua opinião não vale de nada (e não vale nada mesmo mas você tá lá sem fazer nada e quer twittar a merda da sua opinião) e nada do que você disser fará com que os cinco mudem de idéia e no entanto mesmo não ligando pro que você pensa delessempre haverá cinco pessoas no twitter pra querer começar uma discussão sobre o que quer que seja que você twittar e AI QUE SACO! Tudo sem vírgula mesmo, de propósito. Sério: as pessoas twittam o que querem, então aprendam a ler o que os outros twittam também. Bem simples assim.

É por isso que, de hoje em diante, eu decidi que passarei incólume por tweets que possam vir a me incomodar .Acho um  saco ter que ficar explicando pras pessoas a quem serviu o chapéu que, meo, o que você disse não é pra elas e que, sério, é pra tirar o chapéu. Então, vou parar de usar alguns chapéus, néam.  Provavelmente, o que a pessoa disse não foi direcionado especificamente a mim. Provavelmente, foi só um desabafo. Provavelmente, a pessoa não teve a intenção de magoar - e se teve, ela deve ter lá as suas razões... afinal de contas, a gente acaba magoando as pessoas também.  Provavelmente, a pessoa tem algum problema mal resolvido (quem não tem, né... eu tenho vários) e essa é uma das formas que a pessoa encontra pra passar pelo processo de ressignificação... e QUEM SOU EU NESSE UNIVERSO pra querer mudar e me intrometer na vida e nas opiniões das pessoas? Faço referência a Ignacio de Loyla Brandão, em seu livro Zero: o Universo pesando tudo o que pesa e nós aqui, com nossos 70 kg de insignificância (eu, no caso, pesando bastante a mais kkkkkk). Aliás, seria bom se eu tomasse vergonha na minha cara e incorporasse essa filosofia na vida REAL também, nê ô Luciana... Merlim, como é difícil respirar e ponderar. E seguir em frente.

AI QUE SACO.


E, pra acabar com o meu humor de domingo, fico sabendo que os caras lá erraram as contas e o mundo não vai mais explodir em 2012 e... PUTA FALTA DE SACANAGEM, HEIN?! Pra que plantar esperança no coraçãozinho das pessoas e depois tirar dessa maneira? Pra que?

Só pra constar: AI QUE SACO esse novo layout do blogger, hein... vásefodercaralhomerdaporcaria! Acontece que é só por um tempo eu eu já me acostumo... porque a gente sempre leva um tempo pra se acostumar com o que é diferente... e o que é diferente acaba ficando aguentável, quando não é possível ficar bom.

AI QUE SACO.

Preciso ler um post da @toma1shake depois dessa, que é pra dar uma amenizada no clima.

Se vocês, caros dois leitores, estão inclusos no rol de pessoas com quem eu tive o prazer de passar o final de semana mais diver dos últimos tempos, aguardem as cenas do próximo capítulo porque eu postarei sobre esse final de semana. E é sempre importante dizer: O Ubi foi no show do Exaltasamba.





2 comentários:

Aninha disse...

Eu acho que conheço a "razão de ser" deste post
militantes do partido eutocertoevocetaerrado são tãããão last century ...tsc, tsc, tsc...

Mas vamo falar de coisa boa? voce ja comprou a sua tecpix ?

Sobre o fim do mundo: eu confirmei que vou no evento no facebook, se cancelaram nao to sabendo

Mariana disse...

Erraram as contas? AI QUE SACO! ¬¬ acabei de discutir por indiretas pelos 140 caracteres, AI QUE SACO!