Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Rise of the Apes + Toledo + Fins de semana

Ah, o final de semana... sempre igual, menos quando a gente toma vergonha na cara e resolve fazer algo novo - o que nunca acontece.

Mas, porém, contudo, entretanto... esse final de semana foi diferente dos outros. Portanto, merece um post. Se fosse escrever sobre os outros finais de semana, seria alguma coisa mais ou menos assim:

"Oi! Hoje eu acordei, dei aula até meio-dia, almocei, fiquei na internet até de madrugada. Dormi, acordei de meio-dia, almocei, fiquei na internet até meia-noite."

Com variações em que se poderia incluir algum "comecei a fazer o trabalho de facul" em alguns desses finais de semana.

Maaaaaas, poréééém, contuuuuudo, entretaaaaaanto... o post é sobre o último final de semana.

O Emmer veio pro feriado de sete de setembro. Tomamos uns bons téris e vimos O buraco na casa da Taís. O buraco, no caso, é um filme, ok? Ok. Depois, jantamos por lá mesmo e fomos jogar Scrabbles que é tãããããoooo legal!!! Quatro nerds wannabes discutindo como se escreve corretamente a palavra periguete/piriguete foi o auge da noite - eu, particularmente penso que a palavra perigo deu origem à palavra periguete, mas a Taís acha que tem que ir pelo som, e o som é pirigueti, com i. Dá uma boa pesquisa etimológica, não? Para evitar brigas, discussões e mortes, optamos por não considerar gírias com essa. Menções honrosas para as exclamações de alegria toda vez que alguém juntava a letra C e a letra U numa mesma rodada. Crianças, tsc tsc tsc...

No sábado, combinamos de ir pra Toledo assistir Rise of the Apes por causa do lindo do James Franco porque prometia ser um bom filme e eu estava muito interessada no James Franco na estória que dava origem ao filme Planeta dos Macacos. Gostei muuuuuuuuito do filme, desculpa aí sociedade.O que eu mais gostei no filme foi, com certeza, o James Franco rindo, o James Franco sério, o James Franco preocupado com o Cesar, o James Franco correndo, o James Franco TODINHO, e apesar do lugar-comum, o questionamento sobre a ética da ciência, a maneira como os laboratórios lidam com os animais e os testes científico. Para além disso, eu achei que o Cesar poderia ser uma espécie de metáfora do ser humano, mas agora eu não lembro bem o porquê... eu acho que tenho problema com a memória curta, mas eu posto sobre isso um dia desses... se eu não me esquecer.

A galere que se juntou pra ver o filme foi o Emmer, o Marcelo, a Taís, o Renan, o Murilex. De MCR vieram a Paty e a Daia, e de Cascavel vieram o Ubi e a Aninha. Depois do filme, fomos numa festa de um amigo da Daia, tentamos todos parecer muito descolados, mas tenho a impressão de que fracassamos na tentativa. Whatever... Uma das coisas mais legais da noite foi "guiar" o Ubi até o viaduto que o levaria à rodovia para Cascavel. Como o Ubi e a Aninha são desprovidos de GPS e não conhecem Toledo, lá foi a Luciana dirigindo pela Parigot com os cascavelenses logo atrás. Não lembro quem teve a idéia TÃO LEGAL MELDELSDOSSÉL de entrar em uma rua nada a ver, ficar andando em círculos e voltar pra Parigot. E o Ubi  lá, atrás da gente, firme e forte na direção, copiando todos os nossos movimentos fria e desnecessariamente calculados. Também foi legal dar uma volta desnecessária em uma das rotatórias da Parigot, com o Ubi lá, dirigindo logo atrás e confiando (ou não) nos meus conhecimentos urbanísticos e manobrísticos de Toledo... eu planejava dar mais uma volta, mas até eu me cansei, e partimos cada um pra sua cidade. Minto... eu, Emmer e Marcelo fomos até MCR pra levar as lindas da Paty e da Daia. Paramos pra comer um cachorro-quente morrendo de frio puta que pariu e só depois viemos para Palotina, quando eu narrei, durante 45 minutos, as minhas desventuras disciplinísticas unioestísticas para o Emmer, que já quis polemizar sobre as possibilidades de interpretação que os fatos contados apresentavam.

A gente devia fazer essas trapalhadas mais vezes... sempre...

XD


2 comentários:

Aninha disse...

mia mocionei com o Cesar ... nunca que parece que foi feito no computador aquele bichinho meuteosdoceu !!!
Legalzinho o filme ... podia ter aprofundado algumas questoes... mas foi bem lecau.Um dia quero ler Pierre Boulle pra ver qual que era a pira verdadeira da historia.
Serio que voce trollou a gente duas vezes? a gente so percebeu uma kkkkkkk

.:.A Luciana.:. disse...

Anaaaaaaaaaaaaaa eu já estava pronta pra trolar uma TERCEIRA vez kkkkk