Gostou de algum texto? Quer copiar o texto inteiro ou parte dele? Clique e saiba como fazer!

Licença Creative Commons
A obra Vagabond of the Western World de Luciana Alves Bonfim foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em dontfearthereaper1981.blogspot.com.

Desejados!!!

domingo, 21 de abril de 2013

Coisas lindas de uma semana de abril.

Oi, gente... acabei de faxinar por aqui, tirei poeira, teias de aranha... podem escolher um lugar pra sentar, fiquem à vontade. (aloka, achando que tá falando com alguém)

Essa semana merece menção honrosa nesse blog, uma vez que vai ser difícil repetir a montanha-russa de coisas que aconteceram....

Em primeiro lugar, tá fresquinho, quase frio. Amo.

Em segundo lugar, nunca estudei tanto na minha vida quanto este último final de semana passado. Eu sei que estudante vive reclamando e se achando o coitado. Mas, sem cair no "mimimi coitadinha de mim", eu queria deixar aqui registrado os três textos fichados e uma organização de seminário (f.u.d.i.d.o) durante o último sábado e domingo, que quase não me deixou respirar. Embora eu tenha passado o final de semana inteiro em função da facul, terminei o domingo com a sensação de missão cumprida. Que gostoso, isso.

Na segunda-feira à noite, reunião da formatura. Problemas, problemas, problemas. Falta de contratos assinados, falta de pessoas pra completar o número certo de contratantes de formatura, discussão sobre como fazer para juntar o $$ que falta - tudo isso poderia ter sido evitado se. SE. Mas, no final, é bom contar com as pessoas que estão unidas pra fazer com que essa formatura aconteça. Estamos em onze ou doze - e não mais em vinte. Mas não importa, uma vez que essas doze pessoas valorizam DE FATO esses quatro anos. A maioria de nós já teve experiências em outros cursos universitários. Sabemos das diferenças entre um ou outro curso. Sabemos que Letras Unioeste MCR não é livre de falhas - mas valorizamos o esforço de professores que merecem e, principalmente, valorizamos nosso esforço, ainda que algumas pessoas façam questão de diminuir o curso de Letras, os nossos professores e, lógico, o nosso esforço. Para estas pessoas, eu gostaria de dizer que.

A terça-feira foi corrida porque juntar os três textos fichados em um texto só foi PHODA. E eu tenho que dar um jeito na hora do almoço ou na madrugada, né. Não tem jeito, fui lá e fiz.

Quinta-feira foi estressante porque o seminário de Estudos Linguísticos II foi totalmente diferente do que já tínhamos feito em todos esses anos na facul, a responsa era grande e não queríamos falhar. No fim, tudo sempre dá certo. Pelo menos 95% das coisas dão certo, e olhando pras estatísticas, a gente não tem do que reclamar. Os outros 5% a gente usa como válvula de escape de toda tensão e desce a lenha nas pessoas que não ajudaram ou colaboraram da forma como deveriam para que o trabalho fosse 100% perfeito. Ótima terapia falar mal dos outros, todos devíamos admitir que o fazemos e deixar de sermos hipócritas.

Toda essa tensão pra chegar na sexta-feira com excelentes notícias sobre a gravidez da Amanda (que é uma gravidez coletiva, todos estão grávidos junto com ela e descobrimos que vamos ter um MENINOOOOO), excelentes notícias acadêmicas e com excelente companhia. Estive pensando no que foi essa sexta-feira e cheguei à conclusão de que eu adoro quando tá todo mundo reunido lá em casa, uns no sofá-cama aberto, outros nas cadeiras de bar, um sentado na cadeira confortável do Leo, outros no chão nas almofadas.

Outra coisa legal é que o Leo finalmente tomou vergonha na cara deslavada dele e criou um blog, o Apartamento 05. Vou por a leitura do blog dele em dia assim que clicar em "publicar" este post aqui.

E, pra comemorar que não teríamos toda essa correria durante a próxima semana, cachorrro-quente e mojitos da Daia lá em casa neste sábado à noite, que foi noite de Luluzinhas já que namorados não estavam presentes e Leo estava em Palotina. Taís foi junto e ficamos lá falando de Luluzices e comentando a repercussão dos fatos da semana - pq a gente é desprezível e fala da vida dos outros.

Ai, quero mais vezes. Torço demais pra que, depois de semanas como esta, eu possa me reunir com estas pessoas de novo, sem cobrança, sem obrigação, sem culpa, só aproveitando a companhia um do outro enquanto é possível, rindo quando tiver que rir, levando a sério o que tiver que ser levado...

Cito uma parte do post do Moisa de hoje, que á pra terminar (no final, ele tenta vender o Fiat Uno dele, mas eu suprimi essa parte. Quem estiver interessado no Unão da Amands e do Moisa, deixa comentário ahahahha):
"Desde quando amizade é o nome que se dá àquela obrigação que julgamos que os outros (nossos amigos) têm de suportar nosso mau humor, nossa ranhetice? Alguém um dia inventou que amigo é o cidadão sobre o qual descontamos nosso saldo negativo com o mundo, e o cara tem que ficar quietinho, porque, afinal, somos amigos. Como se fôssemos tão legais que, mesmo agindo feito filhos da puta 90% do tempo, nosso lado gente boa compensasse e equilibrasse a balança. Isto é: se durante 364 dias eu for um pau no cu, posso me redimir no dia que sobra. Basta agir com camaradagem perante os “verdadeiros amigos” (aqueles que posso ofender à vontade). "

3 comentários:

Mariana* disse...

Sério, não tem coisa melhor do que sensação de dever cumprido e uma sala rodeada de amigos.
Que saudade dos meus da faculdade... =( Fazem uma imensa falta aquele povo de toda santa noite. To até pensando em fazer outra facul só pra voltar a velha rotina e fazer novos amigos ^^.

Mariana* disse...

Ahhhhhhh, assim que a Van estiver em Palotina vamos tomar um téres pra vocês me contarem os bafõeeesssss!! ;)))

.:.A Luciana.:. disse...

adoro baphões, Mari... vamos tomar téris sim =***